ONS: Apagão afetou 25% da carga do SIN
Operador atualizou as informações sobre o desligamento, que afetou o sistema na última quarta-feira, 21
POR Laíse Teixeira
22/03/2018 às 16:40
ONS: Apagão afetou 25% da carga do SIN
ALEXANDRE CANAZIO, DA AGÊNCIA CANALENERGIA

O Operador Nacional do Sistema Elétrico atualizou as informações sobre o apagão que afetou o Sistema Interligado Nacional na tarde da última quarta-feira, 21 de maio. O ONS afirmou que a perturbação causou um desligamento total no SIN da ordem de 19.760 MW, correspondendo a 25% da carga no momento. Isso fez todas as regiões serem afetadas, desconectando os sistemas Sul/Sudeste/Centro-Oeste e Norte/Nordeste. O restabelecimento total da energia ocorreu às 21 horas.

De acordo com o Operador, a determinação das causas da perturbação exige a análise de uma grande quantidade de informações e já está em curso. A reunião com as empresas envolvidas para a elaboração do Relatório de Análise da Perturbação será realizada na segunda-feira, 26, no ONS, no Rio de Janeiro. O Operador reconheceu que a perda total de geração na região Nordeste durante a perturbação tornou o processo de recomposição mais complexo e demorado.

Segundo o ONS, o evento teve origem na falha de um disjuntor de interligação de barramentos na subestação Xingu, às 15:48 horas, e desconectou o bipolo em corrente contínua em 800 kV entre Xingu (PA) e Estreito (MG), por onde escoa para a região Sudeste/Centro-Oeste a produção da usina, que era de 4 mil MW no momento.

Nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste houve atuação do Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC), com corte automático de consumidores de cerca de 3.740 MW, sendo 2.580 MW nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, e 1.160 MW na Região Sul. As cargas interrompidas nessas regiões foram restabelecidas em cerca de 20 minutos.

Na região Norte, houve desligamento de consumidores em Manaus, Macapá, Palmas e Belém, além da maior parte das cargas dos estados do Maranhão e do Pará, totalizando 5.270 MW. A usina de Tucuruí permaneceu em operação, atendendo a uma carga de 360 MW.

Na região Nordeste, todos os estados foram afetados com o desligamento de 10.750 MW de carga. Apenas cargas residuais na região de fronteira com o sistema Sudeste continuaram com suprimento de energia.